Ata 28

Ata 28 da 29 º Reunião no dia 05 de Outubro de 2011- na sala de Palestrante de Depto de Educação, os membros do COMDEF : Luciana Siqueira (Setor Planejamento), Simone Valsoni Barbosa (APAE), Eniceía Ap. Oliveira (OAB), Paulo Fazoli(ACE- Socorro), Therezinha Aldecoa(APCD), Rita Sette (Esportes), Flávio Meneghelli (Comtur) , Raquel (Prefeitura), Tomás D”Aquino Fratini. Aberta a reunião pelo presidente, pelo mesmo foi dito que foi entregue ao Sr.Governador Geraldo Alckmin o ofício requerendo o ônibus adaptado para deficientes, e não há entregar oficial ainda, mas o mesmo disse para deixar por conta do mesmo, sem entretanto ser concretizada por ora, a doação do ônibus, o que se acredita que acontecerá quando da formalização da doação do centro tecnológico. Acredita-se que em breve se concretizará pois até a média presenciou a doação verbal . Com a palavra o membro Luciano este esclareceu que está sendo analisada a legalidade, se doará ao município para uso da APAE ou se para a própria APAE. Decidiu-se que até o final do ano será cobrada essa doação formalmente, em virtude do ano eleitoral, já que os processos li citatórios e montagem do ônibus são demorados.. Com a palavra o membro e presidente da Câmara Municipal Luciano, este falou sobre os mudanças que aconteceram na Rua 13 de maio, e sobre o Congresso e seus resultados positivos apesar de algumas criticas, os elogios foram constantes. Com a palavra o membro da Associação Comercial , Sr. Paulo, este comentou que os comerciantes da Rua 13 de maio estão contrariados porque terão de rebaixar as estruturas dos prédios para chegar ao nível das calçadas, que a fiscalização deveria punir menos. Que inclusiva algumas lojas de brinquedos, que vão sofrer com o fechamento das ruas para as reformas de Acessibilidade. Luciano contra , argumentou que é necessário o fechamento para as reformas. De volta a palavra ao Sr. Paulo, este comentou sobre fatos isolados, como alguns cadeirantes que tiraram fotos. Segui-se os debates sobre a acessibilidade, no centro comercial, e as dificuldades em que os comerciantes se adaptam à acessibilidade. A seguir aconteceram debates sobre a possibilidade de existir um só banheiro, porém acessível, seus comércios onde serão seja possível a instalação de dois banheiros, um normal e um acessível. A seguir o membro Luciano falou sobre a necessidade de fazer um novo curso para os comerciantes sobre tornar acessível seus comércios dentro de legislação. Luciano comentou sobre o bom senso, citando a empresa Vale, que treinou dois funcionários para ver o tempo de uma escada rolante, para poder dar acesso ao cadeirante ao Cristo Redentor. Ressaltou que tem que ser buscada uma saída com bom senso. Com a palavra o membro Tomás, o mesmo comentou que os comerciantes devem procurar engenheiros ou arquitetos para fazer a acessibilidade em seu comércio, mas os mesmos procuram diretamente o pedreiro, que acaba fazendo errado. Ressaltou a engenheira Luciana que os comerciantes podem procurá-la no Depto. de Planejamento para obterem as orientações gratuitamente. Pelo membro Enicéia, foi sugerido que sejam colocados mais bancos no Horto Municipal, o que foi anotado. Com a palavra o presidente Flávio, este falou com o membro a Rita, do Ginásio de Esporte, sobre a possibilidade da realização de um torneio de cadeirantes, ou algum esporte semelhante, e esta salientou sobre a situação precária do Ginásio de Esportes, que está caindo aos pedaços. Falou então o presidente sobre a realização de uma “Virada Inclusiva” em Socorro, estando em estudos sobre o local. Luciano sugeriu que no centro de Convenções seja pintada uma quadra. Rita comentou que realmente no Ginásio de Esportes não há porque a quadra está com as tábuas podres, há perigo para os para-atléticos. Os jogos serão tênis, futsal, basquete e talvez handball. Luciano sugeriu que seja feita a marcação com adesivos e poli esportiva. Mateus ficou responsável pela formação de equipes e convites para as pessoas de outras cidades. A idealização para essa Virada Inclusiva, são vários eventos, como exposição de fotografias, pinturas, jogos, etc. Rita falou sobre as dificuldades sobre transportes desses jogadores, observando-se que ainda há muito a se falar e planejar até dezembro.Flávio falou da necessidade de encaminhar esse projeto porque assim teremos ajuda da secretaria, em divulgação, materiais, e Flávio quer conseguir pelos menos um técnico da AVAPE para ver como é que vive um cadeirante, parando uma rua, etc. Rita se dispõe a viabilizar esse campeonato, juntando-se à equipe que já está fazendo reunião sobre o assunto. A seguir o Presidente falou sobre a inclusão do deficiente no mercado de Trabalho, que essa inclusão pode ser trazida a Socorro através da APAE. Falou da mudança na Legislação do LOAS, de que o beneficiário do LOAS pode voltar ao mercado de trabalho sem perder o benefício. Falou também sobre o percentual de admissão de deficiente no mercado de trabalho. Luciano argumentou sobre a necessidade de um levantamento de pessoas interessadas nesse curso, e o presidente disse que já está sendo feito esse levantamento. Esse curso seria direcionado Comércio e indústria existentes na nossa cidade.Sendo o que foi tratado, assinam o presente. Eu, Enicéia Aparecida de Oliveira, secretária “ad oc” que subscrevi. Próxima reunião no dia 09 de Novembro.

Compartilhe:

Voltar