Ata 255

Ata 255

Ata 255 – No nono dia do mês de Janeiro de 2017, na sala municipal dos conselhos Sr. Vivaldo Lopes Martins – centro administrativo Municipal, realizou-se a reunião ordinária do Conselho Municipal de Turismo – COMTUR. A reunião se inicia com o Sr. Charles justificando a ausência do Presidente por motivos pessoais e também justifica a ausência de Deise, por motivo de férias. Ele comunica que como vice presidente conduzirá a reunião. Em seguida, é lido a ata anterior, e aprovada, com uma retificação: Ana Luiza informa que os detalhes das regras do Mirante do Cristo ainda não foram oficializadas até a presente data, portanto, os percentuais não passaram de um brainstorm inicial. Na sequência, Charles falou sobre a parte de secretaria. Ofícios enviados aos representantes das cadeiras que estavam vagas no Conselho. Para ele é necessário cumprir os dizeres da Constituição do Comtur. Sra. Beth Pares solicitou justificativa de ausência por problema de saúde. É informado ainda que foram enviados ofícios para o prefeito solicitando representante, para o comandante da Guarda Marcos, pedindo também o representante e providências sobre a movimentação em frente ao novo banheiro público. Nesse sentido, Eduardo tomou a palavra e disse que presenciou uma apreensão de dois garotos por uso de droga na pista de skate. Ele continua explanando que Droga é um problema geral, mas principalmente em locais como este, onde há grande presença de turistas, tem que haver policiamento mais efetivo. Com relação as ausências, ele sugeriu que em cada núcleo, quando o principal representante não puder, tem que designar alguém que possa participar daquela reunião oficialmente representando o núcleo. O próximo assunto a tratar, é sobre o calendário de eventos. Deve-se criar uma lista de distribuição para enviar os temas por e-mail que estão na lista de presença do Comtur. Jerônimo ressaltou que a ação já é feita, porém, nem todos leem os e-mails. Ana Luiza relembrou que a ação também é feita pelo whatsapp. Charles deu continuidade à leitura dos ofícios aos representantes do Conseg, para o Comder, para a representante dos lojistas; Comuc. Thiago aproveitou a oportunidade para informar que a Elza não é mais presidente do COMUC há 2 anos, atualmente é a Beatriz Minosi, do Conservatório. Para a ACE também foi enviado ofício solicitando representação. Ana Luiza deu continuidade aos assuntos da tesouraria, destacando que não teve o saldo da conta do COMTUR para informar nesse mês, mas irá atualizar na próxima reunião. Entretanto, os pagamentos dos prestadores de serviços de dezembro foram efetuados. Seguindo com a reunião, Ana Luiza continua com a palavra falando sobre a Astur- Associação Socorrense de Turismo. Ela informa que a associação será um braço comercial do COMTUR, e será a responsável pela gestão do Cristo e dos dois portais, (os centros de atendimento turístico). A parceria foi firmada com a prefeitura em dezembro e o prefeito deu prazo de 30 dias para regulamentar a associação com CNPJ, estruturar o espaço do Cristo com informação turística e os 2 portais, de terça a domingo, das 9h às 18h. Ana Luiza falou que a Astur vê o local como um ponto de comercialização de produtos e serviços. Atualmente já temos 3 empresas, mas a intenção é que isso aumente de forma exponencial, vendendo atividades, produtos e serviços. É informado que Milton é o coordenador dos pontos de informação, pela Astur. Atualmente estão sendo feitos os levantamentos de gastos. A ideia é que o Mirante seja uma vitrine da cidade, para que os visitantes vão até as propriedades, parques etc. Ana Luiza informou que seria necessário solicitar verba para ajustes na estrutura, como energia e problemas com poço e a caixa d’água, além da limpeza do espaço, revisão do telhado e segurança. Nesse sentido, Sr. Acácio informou que o Henrique deverá comparecer à reunião e já deve ter novidades sobre esse assunto. Ana Luiza pediu em nome do Comtur para a prefeitura que esses serviços fossem efetivados, porque senão, não será viável assumir o espaço no prazo estabelecido. O segundo ponto a ser aprovado são as regras para o local. Charles pontuou que é um trabalho inicial, que o local é um dos pontos mais visitados de Socorro e precisa dar continuidade ao trabalho e com a Associação poderá ter muita força para desenvolver o setor. Antes de a Ana Luiza ler as regras, Henrique chegou e Ana Luiza solicitou informações da prefeitura sobre as demandas apresentadas, Henrique informou que sobre a limpeza, amanhã haverá uma conversa com a diretora do administrativo, Cristiane, para encontrar uma solução para resolver a questão. Acácio relembrou que é necessário algo permanente, já que o Mirante recebe cerca de 4 mil pessoas no fim de semana. Henrique falou que os primeiros trabalhos não surtiram efeitos. A caixa d’água que está vazia no local não poderá ser ligada à que está em funcionamento. São duas alternativas: construir a caixa em forma de cone ou aumentar a altura do local que está a caixa, para aumentar a vazão. Henrique solicitou prazo até a próxima reunião do Comtur para resolver, já que demanda reserva de recursos. Sobre a energia elétrica, Henrique informou que isso é mais complicado, pois envolve a CPFL. O problema está no padrão de luz que está lá. A parte do problema que tange a fiação interna, comida pelas maritacas poderão ser feitas pela prefeitura. Eduardo completou dizendo que a prefeitura tem representatividade para pedir prioridade na CPFL para agilizar o atendimento e Ana Luiza sugeriu alinhar com a prefeitura para fazer esses pedidos. Ela continua lendo as regras estabelecidas para expor produtos e serviços no Mirante do Cristo. Regras colocadas em votação, foram aprovadas. Charles reforçou que é um começo de um trabalho, problemas vão surgindo ao longo do caminho e sendo resolvidos. Na sequência, Sra. Isabela pede a palavra e informa a respeito do bloco do turista, onde está sendo confeccionado abadás para os turistas, e que surgiu a ideia de se fazer um bloco da Astur para sair junto do bloco do turista, onde Sra. Erica sugeriu fazer o bloco com um tema, por exemplo sustentabilidade. Na sequencia, Charles fala que o Carnaval é o ápice! Alguns hotéis encontraram dificuldades de participar, como horário de descida do bloco. Charles relembrou que estamos com o mesmo problema do ano passado, de tempo. Ele ainda fala que Tem que ter envolvimento dos hotéis, das pousadas, porque é um diferencial grande para os turistas. Com o andamento dos trabalhos, o próximo assunto a tratar é o projeto do Sebrae, onde Charles fala do alinhamento do Sebrae com a Associação comercial – ACE, e solicitou a participação do turismo nesse trabalho para começar 2017 de forma diferenciada. No dia 14 de dezembro, o Luiz Del Vinha, vice da Abeta falou sobre o turismo no Brasil, para termos referência e as necessidades de Socorro. Precisa se organizar melhor. Na sequência Isabela explicou sobre o projeto do Sebrae, informando que o trabalho é feito em trilhas. Ela falou ainda, da urgência em aderir, pois se não iremos perder a parceria para o projeto. Eduardo sugeriu que entre em contato direto telefônico com as empresas que podem aderir a essa ideia. Seguindo com a pauta do dia, falamos sobre a formação e formalização do núcleo de artesanato. Ana Luiza relatou a necessidade de se fazer uma reunião com as artesãs e ouvir os problemas que estão tendo. Ela continua dizendo que o primeiro passo para resolver as questões e ajudar o desenvolvimento do setor é criar o núcleo do artesanato. Entende-se que a melhor forma de trabalhar é integrar os diversos tipos de serviços ligados ao turismo para os turistas que atendemos na cidade. Assim dá para entender a demanda e assistir com rapidez e qualidade. Sra. Sonia aproveitou a oportunidade para falar que fora do espaço há muitos artesãos com trabalho de qualidade. Só está precisando de algo que movimente a classe. Basicamente o nosso público é o turista. Visto que os visitantes procuram artesanato local. E quando é recomendado pelos hotéis, pousadas, o visitante vai. Ana Luiza disse que com o núcleo dá para fazer ações direcionadas para conhecer o artesanato, para fazer uma oficina, alinhar um calendário de eventos. Charles reforçou que o Comuc sempre deu apoio ao artesanato. Esse trabalho com o Comuc é fundamental continuar, porém, o Comtur pode se envolver. Sonia reforçou que toda ação que vem para reforçar, ajuda muito. Então, Charles colocou em votação a formação do núcleo do artesanato, que foi aprovado e Sonia presente já colocou o nome em coordenação e Andreia como suplente. Isabela irá trabalhar como facilitadora para contribuir. Sebastião toma a palavra e diz que em muitos parques ou hotéis possuem lojas que podem expor e vender o trabalho de artesanato. Na sequência, o tema debatido foi a Lei do Turismo, criada em 2008. Estamos em época de temporada, o movimento aumenta e algumas coisas estão irregulares. Se não tomar cuidado, problemas poderão surgir em breve. Tem que criar comissão. Eduardo questionou qual o problema da lei? Charles falou que ela é antiga e precisa de algumas adequações. Ana Luiza reforço dizendo que é necessário criar comissão e dar subsídio para a fiscalização. Zé Fernandes relembrou que essa lei foi feita para complementar a Lei Geral do Turismo (lei federal), que já estabelece que todas as empresas devem seguir as normas da ABNT. O decreto municipal foi para pegar as especificidades do município e completar, como seguir nível de rio para atividades de água – itens específicos para Socorro. Para Zé Fernandes o mais importante é fazer com que se cumpra as normas da ABNT. Gasta-se tempo tentando inventar o que já tem. Punições são claras, que não seguem ABNT tem alvará suspenso pela prefeitura. Punição maior que essa não existe. O grupo de turismo de aventura poderia dar suporte para a fiscalização. Zé Fernandes reforçou dizendo que ele tem norma ISO que são internacionais e citou que ninguém da prefeitura foi até ele solicitar ajudar para isso. Sebastião complementou que se conseguir cumprir as normas da ABNT já seria importante e é custo baixo. Para ele o que falta é a fiscalização. Não tem fiscal capacitado para autuar. O fiscal tem que ter formação específica pra isso? O que a prefeitura pode fazer? Charles relembrou que o Marcelo Fratini assumiu o departamento de fiscalização, que inclusive é auditor da ABNT. Charles citou exemplo de empresários que não cumprem as regras. Ana questionou o que se deve fazer. Milton sugeriu que o Comtur ajude a fiscalização, dizendo que alguém que entenda das normas, informem à prefeitura sobre a irregularidades. Zé disse que isso vai gerar um clima desagradável entre os empresários, um denunciando outro. A fiscalização tem que ir atrás disso. Eduardo sugeriu que durante a renovação dos alvarás a prefeitura fiscalize os espaços para revalidar. Ana Luiza sugeriu então que o Comtur faça um ofício para a fiscalização solicitando essa ação. Daniel tomou a palavra e questionou se não pode ser feito como no Comdema, como a Keka disse, que membros do conselho quando veem irregularidades, eles denunciam. Porém, incorre no mesmo problema que o Zé Fernandes citou sobre o desgaste que pode ocorrer entre os empresários com essas denúncias. Sebastião disse que a primeira coisa que tem que cobrar é o ART de engenheiro. Zé Fernandes completou dizendo que a norma remete a todas as leis. Ele propôs que um dos papéis que o núcleo tem e que talvez não esteja sendo feito é trocar experiências entre os empresários. Trocas ideias. Discutir as normas. Sebastião disse que muitas vezes a norma é descumprida por falta de conhecimento. Eduardo disse que se a prefeitura dá autorização é porque a empresa está em ordem. Esse é o ponto de partida. Decidiu-se que será feito um ofício pelo Comtur solicitando que todas as empresas sejam fiscalizadas para renovação do alvará de funcionamento. Charles disse que deveríamos convidar o diretor de fiscalização para a primeira reunião do núcleo de aventura. Acácio sugeriu ainda que sejam convidados inclusive as bases que não são parcerias do Comtur. Seguindo com a pauta, é comunicado que A secretaria de Turismo de Cabreúva solicitou a presença de alguns membros do Comtur para uma reunião do Comtur de lá, sendo assim Charles e Acácio irão representar o Comtur de Socorro. Na sequência, Charles fala sobre o Conselho Regional de Turismo do Circuito das Águas. A posse será dia 16, às 19h, em Monte Alegre do Sul e é sugerido que seja feito ofício solicitando à prefeitura um micro-ônibus para ir à posse. Com o andamento, o próximo assunto é a comissão de marketing, onde Ana Luiza fala sobre a nova agência de marketing digital estar com força e as publicações no face estão tendo bastante interações. Ana Luiza aproveita e pede para as empresas entrarem no Facebook para responder os questionamentos dos visitantes. Ela ainda informa que o pessoal da agência estará presente na próxima reunião para apresentar os primeiros resultados. Encerrando o tema da comissão o assunto seguinte foi sobre o aplicativo turístico e a diferença com o fone já, da ACE. Ana Luiza lembrou que o aplicativo já foi apresentado pela ACE e que a proposta é diferente do aplicativo turístico que será desenvolvido pelo Comtur. O informado é que pedimos preço diferenciado para os membros do Comtur. Estamos aguardando resposta. Marcos disse que esse assunto seria tratado na reunião de hoje da ACE, mas as reuniões da Associação foi alterada, em virtude da reunião do Comtur. Então, aguardamos atualizações por parte da ACE. A pauta segue, e na assessoria de imprensa, Silvana fala sobre reforço de divulgação de verão e fala sobre os releases novos que são: pacotes de carnaval, festival de marchinhas e programação de carnaval com o bloco do turista. Novo site, mirante do Cristo serão os próximos, assim que estiverem em dia. Em stand by está o aplicativo. Sebastião pede a palavra e frisa que na quinta-feira terá gravação no Parque do programa Mais Caminhos no Monjolinho. Na sequência, Tiago pede a palavra e fala que o festival de verão, nos moldes como ocorriam, não ocorrerão mais, em virtude das austeridades na política econômica. Ele pediu ajuda do Comtur de R$ 8.000,00 para realizar o festival com 5 ou 6 atrações, em 2 finais de semana, 21, 22 e 28, 29/01. É colocado em votação, aprovado. Tiago aproveitou para informar que até o dia 20 desse janeiro, a programação já deve estar na rua. Na sequência, foi pedido para que seja discutido sobre a verba do DADE, que precisa ser aprovada. Sr. Acácio toma a palavra, e explica que a nova legislação exige que toda a aplicação do DADE seja aprovada pelo Comtur, a partir de 2017. Foi designada uma comissão, que se reuniu com o prefeito para os projetos. Foram aprovados 2 projetos na reunião. Prioridades será a Estação Socorro – área em torno da estação, revitalizar como um boulevard, formando um complexo cultural onde será destinado R$ 1 milhão. O segundo projeto é a segunda etapa da ciclovia do rio do peixe que irá continuar até o Monjolinho e é sugerido que se destine R$ 1,5 milhão, manutenção dos centros de atendimento turístico, desenvolvimento de aplicativo turístico e marketing digital (R$ 300 mil). Os presentes discutiram os valores. Ana Luiza relembrou quais foram as prioridades apresentadas. Zé Fernandes acredita que dentre as prioridades os pórticos dos caminhos turísticos não deveria ter sido colocada em segundo plano. Já deveria ter a segunda fase do projeto para os demais caminhos turísticos, pois os mesmos ainda não foram comtemplados. Diante das discussões geradas, Charles pontuou que faltou a devolutiva ao Conselho sobre o resultado dessa reunião da comissão. Sugeriu-se que se faça outra reunião com o prefeito, com agilidade, para não perder a verba e entender melhor o projeto e as verbas destinadas a cada um. Então, Charles sugeriu uma nova reunião da comissão das prioridades e Zé Fernandes acredita que não precisa. Deve-se definir agora, na reunião. Ana Luiza acredita que deve ter outra reunião da comissão, aberta para outros interessados. Henrique toma a palavra e frisa que no entendimento do gabinete, essa situação já estava definida pelo Comtur, por isso o assunto veio para a pauta. Então, é marcado nova reunião para quarta-feira, 11, às 14h. Para encerrar, Charles fala sobre o Plano Diretor de Turismo, ele destaca que uma cartilha dessas é para ser usada e algumas foram distribuídas. Em seguida, e sem nada mais a tratar, eu Isabela Fernandes na ausência da secretaria rediji e assino a presente ata junto do vice-presidente Charles Gonçalves.

Compartilhe: