Ata 267

Ata 267- No décimo nono dia do mês de Fevereiro de 2018, ás 19h00 na Sala dos Conselhos Sr. Vivaldo Lopes Martins, o Conselho Municipal de Turismo- COMTUR, por intermédio de seu Presidente Sr. Luiz Eduardo Bovi deu inicio a reunião do mês de Fevereiro. Deise toma a palavra e faz a leitura da Ata anterior, que é aprovada por unanimidade. Em seguida comenta sobre o recebimento de um ofício, onde Dr. Rafael informa sobre o processo de denúncia com possíveis irregularidades no uso de verbas que foi arquivado por não ser pertinente. Para dar inicio as pautas, o Presidente Eduardo, fala sobre a distinção entre ASTUR e COMTUR, explicando que a forma como ambas operam são diferentes. José Fernandes questiona sobre tal distinção uma vez que a ASTUR foi criada exatamente para viabilizar custos do COMTUR. Eduardo esclarece que judicialmente são distintas quanto ao aspecto do que é uma associação, mas que as duas possuem o mesmo objetivo. Eduardo também comenta sobre a distribuição de verbas discutidas no COMTUR onde justifica como as mesmas foram destinadas em 2017, e acrescenta que para o ano de 2018 devemos levantar mais dados para melhor analisar como todas as verbas serão destinadas. Portanto alguns pontos devem ser analisados como a distribuição de recursos, critérios utilizados para aprovação, qual a finalidade de participação em eventos e envolvimento dos núcleos no mesmo, toda e qualquer solicitação de verba deverá ser representada/apadrinhada por um representante legal do COMTUR, este irá analisar o projeto e defendê-lo. As contribuições deverão ser aprovadas com prazo mínimo para executá-las, sendo discutidas anteriormente entre os núcleos e com critérios para ser mais impessoal possível. Ele lembra que a prioridade para este ano da verba do DADE é a construção de um salão de convenções no recinto. José Fernandes toma apalavra e ressalva que o COMTUR tem o poder de interferir em qualquer verba que venha para o turismo municipal. Com isso Eduardo sugere criar comissões para discutir e buscar linhas para estar captando e utilizando essas verbas, lembra também sobre ainda ter alguns segmentos que estão sem representantes no COMTUR, assim Acácio Zavanella sugere emitir um ofício para enviar às entidades solicitando a indicação de seus respectivos representantes, José Fernandes propõe rever o estatuto e seus critérios afim de uma atualização e redefinição de alguns pontos importantes mediante surgimento e acrescenta que caso não sejam apresentados, podemos utilizar do mesmo para nomear alguém do próprio turismo. Charles Gonçalves reivindica incluir um representante da ASTUR, uma vez que a mesma foi criada pelo próprio COMTUR. Então Eduardo sugere fazer uma reunião para ser discutido sobre o assunto. Foi apresentado um novo modelo de reunião e sugerido somente relatar tópicos principais da ATA anterior, uma vez que a mesma deverá ser enviada por e-mail juntamente com a PAUTA da reunião futura, para que aqueles que estejam presente já tragam suas contestações, com isso Deise informa que deverá ser dada continuidade na publicação de um resumo da ATA no jornal. Eduardo faz uma breve leitura sobre as competências do COMTUR e abre espaço para criação das seguintes comissões: Luzes de Natal – Eduardo – Sendo composta por representantes do comércio, ASTUR, hospedagem, indústria, cultura, artesanato e que tenham poder de decisão dentro da Prefeitura. Plano Diretor – Deise, Meio Ambiente – Ligia, Caminhos turísticos – José Fernandes (lavras de baixo) – sendo composta por um representante de cada caminho turístico. Dando continuidade à pauta Deise fala sobre a comissão de Marketing, onde está sendo finalizado o vídeo do Projeto Luzes de Natal e mais 25 fotos profissionais que serão utilizadas numa ação para captação de verbas e patrocínio para os próximos anos. Deise também comenta que a comissão de marketing foi dividida em mini comissões para trabalhar temas diferentes tais como Pesquisas, Divulgação do destino, calendário de eventos e endomarketing. Ela comenta que formulários de pesquisas já estão distribuídos em alguns empreendimentos turísticos e que elas indicarão o perfil do público que frequenta o destino, apresentando resultados de onde melhor divulgá-lo. Está sendo finalizado também o calendário de eventos anual que inclui missões técnicas, eventos externos, institucionais e ações internas. Dando continuidade a pauta o coordenador do núcleo, Charles, comentou que foi levantado algumas ideias de como ser mais agressivo e eficaz na parte comercial buscando vender o destino, também está aberto a possibilidade de fazer uma ação de divulgação e conscientização turística na feira de quarta, onde foi liberado para o turismo montar uma barraca com o objetivo de divulgar a cidade. No dia 17 de Março de 2018 Charles ira fazer uma Palestra sobre o turismo de Socorro para a Guarda Mirim. Sobre a Abeta Sumith acontecerá de 26 a 28 de agosto ainda sem local definido. Dando continuidade no Núcleo de Gastronomia, Guilherme comenta que no núcleo foi discutido sobre a participação em eventos do calendário anual e também a criação de um catálogo digital gastronômico, com os horários e dias de funcionamento. No Núcleo Rural, Flavio comenta que também foi discutido sobre o calendário de eventos, onde o Festival Gastronômico Sabores da Roça passará por uma reformulação para o ano que vem e que neste ano será realizado dentro do Festival de Inverno. No Núcleo de Hospedagem, Eliza comenta que ações junto aos outros núcleos estão sendo pensadas para os períodos sazonais e será feita uma análise de novos grupos e nichos de mercado como público da melhor idade, pet, religiosos e LGBTS. A reunião ainda será realizada para definir alguns pontos do calendário de eventos. Dando sequencia é aberta a palavra livre, onde José Fernandes toma a palavra e fala do centro de eventos e apresenta um antigo projeto com prioridades do COMTUR voltado para a construção do mesmo e Eduardo acha válido retomá-lo, sugerindo que seja atualizado e apresentado para discussão em uma próxima pauta. Antonio Zapellini informa que foi contatado pela prefeitura sobre taxação de distribuição de panfletos (taxa de divulgação e publicidade lei complementar 59/2001 art. 143) e solicita uma explicação da mesma sendo que nem todas as empresas foram autuadas. Todos acreditam que estas taxas deveriam ser analisadas com maior cautela e que devemos buscar uma maneira de isenção, desta forma, será consultado e na próxima reunião será dada uma devolutiva. Charles informa que solicitou uma melhora na dinâmica de coleta de lixo da caçamba do Rio do Peixe dando a ideia à prefeitura para transformar o local em um EcoPonto. Após essa fala e nada mais havendo a tratar o Presidente toma a palavra e da por encerrada a reunião ordinária do mês de Fevereiro e eu Eliza Schirato redigi e assino a presente ata junto ao presidente Luiz Eduardo Bovi.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe:

Voltar