Complexo Ambiental produziu e doou 3 toneladas de composto orgânico, desde janeiro

Processo de compostagem transforma lixo orgânico em adubo, destinado a uso da Prefeitura e doação a proprietários rurais


Restos de poda são moídos e transformados em adubo


Servidores do Complexo Ambiental manejam composto orgânico

O Complexo Ambiental Municipal, onde é realizado o processo de compostagem, produziu, de janeiro até o início de abril, pouco mais de três toneladas de composto orgânico, cuja maior parte foi doada para produtores rurais, além da utilização em plantios feitos pela Prefeitura.

A compostagem consiste em transformar matéria orgânica em fertilizante e é desenvolvida em Socorro em parceria com a empresa Visafértil, especializada no ramo e responsável por oferecer orientação e apoio técnico. Além de produzir adubo, o procedimento prolonga a vida útil do Aterro Sanitário.

A matéria orgânica provém dos restos de poda de serviços municipais e daqueles levados pela população ao Complexo – até 1m³ de volume também pode ser entregue nas unidades de Ecoponto. No bairro Jardim Gollo e nas escolas Coronel Olímpio G. dos Reis e Maria Paiva Mantovani, é feita coleta do lixo orgânico exclusivamente para compostagem.

Desde agosto de 2017, o Complexo Ambiental também passou a dispor de um viveiro de mudas nativas, as quais são obtidas junto à Associação Ambientalista Copaíba e colocadas em composto orgânico para plantio ou doação a proprietários interessados em reflorestar suas propriedades.

Para mais informações sobre aquisição de mudas e composto orgânico, deve ser feito contato com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, pelo telefone (19) 3855-9617.


Viveiro tem centenas de mudas nativas de várias espécies

Compartilhe:

Voltar