Defesa Civil e Piracema fazem limpeza parcial do rio do Peixe

As equipes de voluntários e agregados da Defesa Civil de Socorro e da Associação Ambientalista – Projeto Piracema, coordenados por Lourenço do Prado e Hermenegildo Tardelli, estiveram no domingo (05), procedendo limpeza parcial de algumas áreas centrais do rio do Peixe, notadamente nas proximidades das pontes, quando foram usados barcos e equipamentos pessoais de proteção. Segundo Lourenço do Prado, essa é uma ação preventiva e só pode ser realizada fora do período das chuvas, quando o volume de água é baixo.

Usando dois barcos as equipes se revezaram na retirada dos entulhos jogados de forma irresponsável por munícipes, como sacos de lixos, pedaços de pano, utensílios domésticos envelhecidos e até sofás, além da sujeira natural como árvores caídas e galhos, “mas ainda não é a limpeza geral,  que se faz necessário e que pretendemos realizar muito em breve”, esclarece o coordenador da Defesa Civil.

Ao ato estiveram presentes conferindo e colocando a mão na massa, o Prefeito, Vice Prefeito e o Presidente da Câmara Municipal, todos evidentemente, assim como inúmeros munícipes, preocupados em manter o rio livre no seu transcurso de água, e sem obstáculos provocados por acumulo de sujeiras e objetos jogados em seu leito.

Fica o alerta por parte dos coordenadores, conclamando a população para que respeitem um pouco mais o rio do Peixe, evitando fazer de seu trajeto, que é insinuante e bonito, um verdadeiro depósito de lixo. Pedem que não joguem em suas águas, pneus velhos, madeiras, sacos plastico, garrafas pet, vidros em geral, móveis e utensílios domésticos, porque, além da demora para sua decomposição, muitos anos, no caso, ainda acabam por prejudicar o escoamento das águas, podendo propiciar possíveis enchentes, nada agradáveis aos munícipes.

Hermenegildo, coordenador do Piracema, um dos veteranos nessas ações de limpeza do rio, apela solicitando o bom senso,  para que a população de Socorro, respeite um pouco mais o rio, que ele considera uma das maravilhas da cidade, e que deve ser tratado com mais respeito e carinho. Esclarece que sempre é bom separar a emoção daqueles que defendem a natureza como um todo, especificamente no caso do rio, de uma realidade com a possibilidade de possíveis catástrofes, em função dos objetos jogados em suas águas. “Rio limpo é também e principalmente, sinônimo de vida animal, de peixes, aves e saúde”, enfatiza.

Compartilhe:

Voltar