Feira dominical é revitalizada em Socorro

feira

Ao longo dos tempos, as feiras livres, tem sido consideradas como fenômenos econômicos sociais muito antigos, que já eram praticados por gregos e romanos. No Brasil elas existem desde os tempos coloniais, e apesar de diversos fatores terem ocorrido na economia brasileira, que poderiam tê-las feito desaparecer, até hoje elas mentem-se em plena atividade, como tradição. Por vezes, em algumas localidades do interior do País, são consideradas como o principal comércio da população.

Em Socorro a única feira existente, resiste ao tempo e permanece como comércio interessante dos produtos dos agricultores familiares. Ela reúne 24 feirantes aos domingos, sempre no mesmo local, defronte ao Supermercado Shimoda. O Departamento Municipal de Desenvolvimento Rural, tendo a frente o Engº Paulo Lorensini projetou algumas alterações no contexto da feira. “Pretendemos com isso, revitaliza-la modernizando as ações dos feirantes. Inicialmente com uma padronização das bancas e identificando os produtos através de cores”, explica Paulo Lorensini.

Estão sendo colocadas saias e toalhas em cada uma das bancas. As que comercializam hortaliças e frutas, tem as cores de listras verde e branca; os alimentos, vermelha e branca; para os artesanatos azul e branca.

Para que os feirantes proprietários das bancas se reciclem, serão ministrados cursos focando as boas práticas no manuseio dos alimentos, marketing de vendas e outros relacionados com o setor, através de parceria com a Vigilância Sanitária e o Senar

Um encontro reunindo os produtores rurais/feirantes aconteceu no Espaço do Produtor Rural “Joaquim Gilberto Vieira”, com a presença do Prefeito André Bozola, que na oportunidade entregou a eles as lonas para os revestimentos das barracas e as toalhas para as bancadas.

“Esta primeira etapa do projeto que estará melhorando consideravelmente o visual e higiene da feira, faz parte do Programa de Governo do Prefeito André Bozola, que no item 4 do Desenvolvimento Rural Sustentável, parágrafo 8, prioriza as formas de comercialização direta do produtor ao consumidor”, enfatiza o Engº Lorensini.

 A segunda etapa terá início no mês de janeiro de 2015 quando será tratado da segurança e higiene alimentar, com a participação da Vigilância Sanitária.

No encontro dos feirantes, a Chefe de Serviço de Fiscalização da Prefeitura Municipal, Anaíse de G. S. César esteve presente, constatando in loco que as mudanças efetuadas estão de pleno vigor das leis. Ao usar da palavra disse ela: “É preciso que todos tenham a consciência do uso do espaço público, da limpeza do local e do trabalho”. Informou que os feirantes com mais de 60 anos e os deficientes físicos, residentes em Socorro, são isentos dos tributos municipais incidentes sobre a atividade, conforme o artigo 256 da Lei 3406/2010 (código de Posturas do Município).

Na projeção do Engº Paulo Lorensini e na fala da Anaíse César, ficou bem claro a disposição dos órgãos da Prefeitura em estabelecer uma parceria com os feirantes, para proporcionar um bem estar satisfatório com a realização da feira livre, tornando a atividade atrativa, organizada e saudável para os munícipes no domingo, pela manhã.

Compartilhe:

Voltar