Prefeitura alerta sobre o aumento de faltas em consultas médicas

Os dados da Secretaria Municipal de Saúde apontam que ainda há muitas faltas.

De acordo com a secretaria, 20,5% dos procedimentos agendados (consultas, exames nos postos de saúde e no Conisca) não foram realizados pela falta do paciente. A ausência do paciente causa prejuízos, já que ele deixa de ser avaliado em uma consulta ou exame e interfere no funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS). A ausência aos procedimentos médicos dificulta o acesso de outros usuários à rede SUS e eleva o prazo de espera para uma consulta, por exemplo. Outro prejuízo é financeiro, já que o serviço é pago pelo município mesmo quando o usuário não comparece ao atendimento agendado.

“Não medimos esforços para garantir que os cidadãos tenham mais acesso às consultas e exames. Acabamos com as filas que existiam para agendar consultas melhoramos consideravelmente o atendimento, mas a população precisa fazer a sua parte”, disse o secretário municipal de Saúde, Ricardo Lopes.

O mês de dezembro do ano de 2019 foi o que registrou o maior índice de faltas de pacientes. Nas Unidades de Saúde, a ausência chegou a 6,43%, equivalente a 300 faltas. Para a base de cálculo, também foi considerado o Conisca, com uma porcentagem de 14,07%, totalizando 20,5% de ausência no saldo total.

Compartilhe:

Voltar