Secretaria de Saúde alerta: casos sem gravidade dispensam ida ao pronto-socorro

Atendimento a pessoas em estado de não emergência prejudica bom funcionamento do Hospital; opção correta é a unidade básica de saúde


Hospital Dr. Renato Silva, onde fica o pronto-socorro municipal
Foto: Henrique Cisman

A grande quantidade de pacientes que se deslocam ao pronto-socorro sem necessidade de suporte hospitalar tem preocupado a Secretaria Municipal de Saúde. De acordo com a pasta, essa prática atrapalha o bom funcionamento do Hospital Dr. Renato Silva, principalmente porque eleva o tempo de espera para atendimento a situações realmente urgentes.

O pronto-socorro é indicado somente para os seguintes casos:

– dor muito forte e repentina;

– dormência, fraqueza ou dificuldade em movimentar um lado do corpo, ou a fala parecer enrolada;

– vítima de acidente, batida na cabeça seguida de desmaio, corte profundo ou sangramento intenso;

– queimaduras, acidentes com animais peçonhentos, mordidas que perfuram a pele;

– queda de altura superior a um metro e meio, múltiplas fraturas, inchaço repentino ou trauma no olho;

– doença crônica com agravamento do quadro, como asma, diabetes, hipertensão, epilepsia, problemas renais ou de alergia.

– gestantes com fortes dores ou sangramentos (preferencialmente com todos os exames e avaliações do Pré-Natal em mãos).

Caso não se trate de alguma das situações citadas acima, o paciente não deve procurar pelo pronto-socorro. A opção correta é ir até a unidade básica de saúde mais próxima – o município possui nove postos de Estratégia de Saúde da Família, um Centro de Saúde e três postos de atendimento em saúde (PAS).

Além de oferecer consultas e exames, as unidades básicas são indicadas para problemas simples ou sem urgência, como dor de garganta, dor ao urinar, tosse, dor de cabeça leve, problemas de pele, pequenos cortes ou ferimentos, controle da pressão arterial e de diabetes.

A opção pela UBS é vantajosa em relação ao pronto-socorro, pois o paciente fica menos tempo esperando para ser atendido e tem à disposição um médico que já conhece seu histórico, ao contrário do setor de emergência, onde os profissionais não sabem quem são as pessoas que chegam.

Na UBS, o clínico-geral avalia o paciente desde o início do tratamento, solicita exames e prescreve a medicação apropriada, ou, se necessário, encaminha para outras unidades com maior capacidade de atendimento – inclusive fora de Socorro.

Para se informar sobre a qual unidade básica de saúde você e sua família pertencem, basta ligar para a Secretaria de Saúde, (19) 3855-9639.

Compartilhe:

Voltar