Secretaria Municipal de Meio Ambiente informa sobre aparições de animais silvestres

Há poucos dias, um Lobo-Guará vem aparecendo no Bairro do Rio do Peixe e tem despertado a atenção dos moradores locais.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente foi acionada tanto pelos moradores locais, quanto pela Associação Ambientalista Copaíba. Técnicos da Prefeitura foram ao local e percorreram todo o terreno, verificando o ponto no qual o animal adentrou na propriedade. Na oportunidade o animal não foi encontrado.

Dias depois, o animal ressurgiu, por se tratar de uma espécie nativa da fauna brasileira, protegida por lei e seu manejo depender de autorização prévia do IBAMA, a Associação Mata Ciliar foi acionada.

Como o animal estava relutante em deixar a propriedade e estamos no período reprodutivo da espécie, a hipótese é de que o mesmo esteja com crias.

Assim, a Associação Mata Ciliar instalou câmaras de monitoramento para verificar a movimentação do animal e tranquilizou os moradores locais quanto à existência de riscos de ataques.

Maior canídeo da América do Sul, o Lobo-Guará é inconfundível. Com uma densa pelagem avermelhada e longas pernas, é uma espécie típica de áreas abertas.

Solitária, de hábitos noturnos, o Guará é um animal muito tímido e arredio à presença humana, prefere fugir ao invés de confrontar.

Incapaz de atacar o ser humano, o Guará é um dos animais mais mal compreendidos da fauna brasileira. Além de perder seu hábitat natural para as cidades, sua presença próxima às habitações humanas gera conflitos de convivência com o homem.

“Muitos animais são envenenados e mortos, porque é difundida a ideia de que são animais ferozes, que podem atacar o ser humano ou os animais domésticos, mas a verdade é que não é uma espécie agressiva, ao contrário, é muito dócil.” – afirma Marcos Júnior, biólogo da Secretaria de Meio Ambiente.

O Lobo-Guará é um animal de dieta variada que, contrariando o que muitos pensam, come apenas pequenos animais como ratos, coelhos e cobras e, também, frutos de árvores nativas.

Por essa dieta tão diferente, o Guará apresenta uma importância fundamental na manutenção do equilíbrio ecológico, pois atua no controle de animais daninhos e realiza a dispersão de sementes.

“Como a espécie precisa de uma área de, no mínimo, 100 Km² para sobreviver, considerando sobreposição de área, não exceda a estimativa é que a população existente em Socorro não exceda 10 indivíduos. Some-se a isso, o fato de se encontrar na categoria de espécie Vulnerável nas listas oficiais de animais em extinção. É preciso entender o privilégio que é poder encontrar um animal desses se reproduzindo em Socorro. É preciso preservá-lo” – finaliza Marcos Júnior.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente parabeniza a população do Rio do Peixe pelo cuidado que tiveram para com o animal e informa a toda população que quaisquer conflitos com a fauna silvestre podem ser intermediados, basta somente ligar no telefone: 19 3855-9617.

Compartilhe: