Socorro acompanha seminário “Construindo Cidades Resilientes”

SITE - Seminário Construindo Cidades Resilientes (15)

A Campanha “Construindo Cidades Resilientes” – Minha Cidade está se preparando- é um programa mundial de redução de desastres, ação internacional da Organização das Nações Unidas (ONU), com iniciativa da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec) e do Ministério da Integração Nacional, do qual Socorro está integrado, sendo inclusive portador do Certificado de Compromisso de Resiliência aos Desastres.

O objetivo da campanha busca alcançar o grau de consciência e compromisso em torno das praticas de desenvolvimento sustentável, como forma de diminuir a vulnerabilidade e propiciar o bem estar e segurança dos cidadãos.

Por conta disso, de 07 a 13 de outubro foi realizado a Semana Nacional de Redução de Desastres, tendo como local a Cidade Universitária, em São Paulo,  chamando a atenção dos gestores públicos para a importância do planejamento, principalmente voltado para a redução de riscos e enfrentamento de desastres.

Como parte das atividades, no estado de São Paulo, a Defesa Civil Estadual (Cedec-SP) realizou, com o apoio do Cepam, o seminário Construindo Cidades Resilientes.

Cidades Resilientes em que Socorro se inscreve, são aquelas com capacidade de reduzir os riscos e as vulnerabilidades locais e, em caso de desastre, recuperar-se em curto prazo e com o menor prejuízo possível à população.

A abertura foi feita pelo presidente do Cepam, Lobbe Neto; o diretor acadêmico da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), Waldomiro Loyola; a coordenadora de planejamento ambiental, Zuleica Perez, que representou o secretário estadual de Meio Ambiente, Bruno Covas; a deputada estadual, Célia Leão; e o secretário-chefe da Casa Militar, coronel PM Marco Aurélio Alves Pinto.

Para o presidente do Cepam, Lobbe Neto, a temática “é oportuna, pois incentiva os gestores públicos a adotarem ações para estabelecer cidades resilientes como parte dos processos de urbanização sustentável”.

De acordo com Lobbe Neto, “no Cepam, chegamos a discutir se a palavra resiliente seria compreendida por todos e percebemos que, apesar de nova, o conceito já está e será cada vez mais utilizado, em âmbitos nacional e internacional”.

Após breve fala na abertura, o coronel PM Marco Aurélio Alves Pinto, secretário chefe da Casa Militar e coordenador estadual da Defesa Civil, apresentou o tema Defesa Civil para Todos: Promoção da Dignidade da Pessoa Humana. “Temos que mudar o cenário para prevenir e não apenas recuperar”, alerta.

Ele enumerou as políticas estaduais de defesa civil, enfatizando como o estado pode auxiliar o município nesse contexto. “É necessária a padronização estadual da defesa civil, e a Univesp está contribuindo com isso”, enfatiza, acrescentando: “Todos os municípios precisam ter sua defesa civil estruturada para saber como agir em caso de incidentes e não serem pegos de surpresa”.

Entre os riscos, ele destaca o geológico, hidrológico, e a ocupação do solo. “A integração é uma das formas mais eficientes de tornar a cidade resiliente. Quando os setores atuam juntos, habitação, meio ambiente, recursos hídricos, etc., todos entendem o problema de maneira igual e assumem o compromisso em conjunto”.

Houve também palestra sobre Pessoas com Deficiência na Relação com os Desastres, proferida pela deputada estadual Célia Leão, que enfatizou a importância de tornar os ambientes acessíveis, “pois se arrumarmos a cidade para a pessoa com deficiência, ela estará pronta para todos. Se pensou na pessoa com deficiência, pensou em todo mundo”.

Segundo dados da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010, 45,6 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência, o que corresponde a 23,91% da população brasileira. “Incluir é garantir às pessoas seus direitos”, lembra Célia.

De acordo com a deputada, trabalhar de forma integrada é a melhor maneira de enfrentar os desafios. “É uma honra estar aqui hoje para fazermos um estado melhor; o que é bom para o estado é bom para o Brasil. Ninguém é tão forte como todos nós juntos; ninguém é tão rápido como todos nós juntos; ninguém é tão inteligente como todos nós juntos; e ninguém será tão competente se continuarmos juntos e a defesa civil tem esse viés, essa direção, função, e, mais do que isso, essa missão.”

Compartilhe:

Voltar