Compartilhe:

Atualizado em 20/04/2012 – 10:12

imagem ilustrativa

A campanha de vacinação contra febre amarela teve início no dia 1º de abril em Socorro, após a confirmação da morte de um macaco com a doença no bairro do Serrote.

Desde então, cerca de 15 mil pessoas foram vacinadas, em suas casas na zona rural e no Centro de Lazer do Trabalhador, onde a Secretaria de Saúde montou uma equipe especial para a campanha. Socorro possui 4 mil doses da vacina em estoque, e uma nova remessa, que já foi pedida, deve chegar nos próximos dias.

Na quarta-feira, a vacinação continuou nos seguintes postos de saúde: Centro de Saúde, Santa Cruz, Parque Ferrúcio, Vila Palmira, Oratório, São Bento e Jardim Araújo. As doses são aplicadas de segunda a sexta-feira, das 10h às 14h.

A partir da próxima semana, algumas equipes serão deslocadas para comunidades rurais. Na segunda-feira, das 15h às 19h, a vacinação acontece no salão comunitário de Visconde Soutelo, para os moradores do Pedra Bela, Camanducaia de Baixo, Agudo, Chave e do próprio bairro. Na terça-feira, a vacinação acontece no salão comunitário dos Moraes, no mesmo horário, para moradores do bairro e do Moquém, Martins, Camanducaia do Meio, Camanducaia de Cima, Rubins e Camilos.

Depois do caso do macaco do Serrote, mais três animais foram encontrados mortos, nos bairros Varginha, Moraes e Farias. Os macacos foram enviados para análise, mas ainda não veio a confirmação se eles estavam ou não infectados com a febre amarela.

Apesar de não haver casos de contágio em humanos em Socorro, a recomendação da Secretaria Municipal de Saúde é que todas as pessoas, que não têm restrições, busquem a vacinação mais próxima de sua residência. Principalmente aquelas que frequentam ou residem na zona rural.

Crianças menores de seis meses não podem ser vacinadas e idosos acima de sessenta anos precisam passar por avaliação médica. Não é necessário agendamento prévio.

Voltar

Turismo Socorro

Circuito das Águas Paulista

Aprecesp - Turismo Paulista

Governo do Estado de São Paulo

Governo Federal do Brasil

IBGE

Cidades Digitais

BNDES